Reportagens

Maria sofreu agressões, mas não foi a única

“As dificuldades na recuperação, as sequelas físicas, emocionais, sociais, porque você passa a ser uma pessoa portadora de cicatrizes. Tudo isso dá muita dificuldade em romper essas barreiras, e se olhar no espelho e se aceitar, não são coisas muito simples, mas são coisas possíveis”, afirma Cristina.

Anúncios